Aromaterapia e o Sistema Límbico

Você sabe definir as suas emoções? Sabe de onde elas vêm?


Definir emoções não é uma tarefa simples, mas você sabia que estudos comprovaram que os fetos são capazes de expressar uma certa variedade de emoções ainda dentro do útero? E depois como bebês ativamos o que, mais tarde, será chamado de " linguagem instintiva e de sobrevivência".

É através dessas expressões de riso ou choro, que os bebês conseguem se comunicar e manifestam suas necessidades mais básicas.


As emoções nos conferem humanidade. Servem para nos ajudar a tomar decisões e influenciam nossas visões e julgamentos. São a base para nos conectarmos às outras pessoas. Funcionam como mecanismo de sobrevivência e alerta.


Elas refletem a forma como encaramos a vida, nosso estado de equilíbrio - a eterna luta entre razão e emoção.


Já ouviu falar na Teoria de MacLean?

Esse cientista enxergava o cérebro como uma arquitetura trina:

Cérebro reptiliano - para as emoções primitivas

Cérebro visceral (tálamo, hipotálamo, hipocampo, córtex cingulado, amígdala e córtex pré-frontal) - para medo e respostas sociais mais elaboradas

Neocórtex - que exerce controle sobre as respostas fornecidas pelos outros dois


O Sistema Límbico é o responsável peças relações neurais básicas das emoções. Também é conhecido como cérebro emocional. Nossos estados mentais são todos ativados pelo sistema límbico.


Ele é composto por várias estruturas cerebrais interconectadas entre si que são as estruturas do cérebro visceral.


Portanto, o sistema límbico é o famoso "gerenciador de emoções", embora recentes descobertas também o associem à motivação, desenvolvimento do aprendizado e memória.


Doenças como Alzheimer e amnésia ocorrem quando alguma estrutura do sistema límbico é modificada.


Mas o que isso tudo tem a ver com a Aromaterapia?

Em 1973 foi criada por Papez-MacLean a teoria neurológica que enfatiza a importância do sistema límbico, conectado ao hipotálamo, hipocampo e algumas áreas do telencéfalo, relacionadas ao olfato, além dos movimentos orais ligados a alimentação e ao comportamento primitivo de exploração, que formam os impulsos fundamentais de sobrevivência e vem junto às respostas emocionais e viscerais.


O centro de prazer localizado no sistema límbico serve para reforçar a aprendizagem quando estimulado, mostrando uma relação entre esse sistema e a memória.


A relação da Aromaterapia com as emoções se dá principalmente pelo Sistema Límbico. Nele, observamos a intersecção dos sentidos e desejos emocionais com as necessidades e instintos físicos, acionando os comportamentos e respostas viscerais como raiva, medo, tristeza, afeição, repulsa, atração sexual, etc.


Muitas doenças podem ter a sua raiz na mente, já que mudanças no estado mental causam mudanças no corpo físico, também. A influência das emoções e humor determinam como você pensa, percebe, lembra e até como se comporta. Uma mudança no estado mental pode fazer grandes efeitos na saúde geral.


Um estudo de Ehrlichman conclui que a experiência do odor e da emoção são fisiologicamente a mesma, já que as moléculas de odor atingem os mesmos lugares no cérebro que as emoções.


A beleza dos óleos essenciais é que eles são muito complexos e flexíveis e assim, se adaptam às diferentes necessidades do paciente.



Está gostando desse conteúdo? Me deixa uma mensagem!

Vou falar mais sobre isso no próximo post!


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo